A Pedidos…

ORÁCIO E O MEDO DE AMAR

Fevereiro 10, 2008

E aqui estou eu, mais uma vez, a falar do pior – melhor – sentimento que podemos ter na nossa caixinha de surpresa que carregamos dentro do peito. Por que tal medo da pessoa amada? Por que o medo de ter aquela pessoa por perto? Por que preferimos nos esconder a tentarmos ser felizes?

Jogaria tudo para o auto – e jogo – por uma paixão, um amor, uma confusão entre amizade e afeto. Prefiro te ver feliz que eu. Sinceramente, essas são minhas palavras de honra. Você estando feliz, mesmo que não seja comigo, vou acompanhar sua felicidade. Apesar de que até o ultimo estante, escondi o que sinto por você, até o ultimo suspiro eu não revelei pra ninguém o que sentia. Sei que estas singelas palavras não servem só pra mim.

Deixei de ter medo do amor, medo de tal sentimento repugnante. Prefiro me aventurar, curtir a vida, simplesmente, tento não me apaixonar, mas tenho o coração mole. Tenho um coração tão mole, que pelo simples fato de ouvir uma música bonita, choro. Tenho o coração tão mole, que consigo perdoar o pior dos criminosos, e ainda por cima, consigo buscar minha felicidade, mesmo que seja superficial.

Tente achar um caminho que lhe traga alegria, que lhe traga conforto. Mesmo que o caminho seja grande, tente. Não deixe de lutar na primeira batalha perdida. Busque quem você ama, mesmo que tenha que enfrentar os sete dragões do inferno.

Já passei da época de me esconder dentro das minhas cobertas e chorar por um amor. Já passei da época de rabiscar no meu caderno o nome da pessoa amada. Agora eu vou atrás, acho que me machuco mais aqui parado, do que tentando.

Mesmo que seja em vão, vou poder falar que tentei. Não vou me sentir um fraco; fraco sim! Se fiquei aqui parado é por que fiquei com medo, se fiquei aqui parado é por que não tive forças para lutar, e sinceramente, prefiro morrer na mesmice de sempre, do que me sentir um fraco.

Prefiro ir e quebrar a cara, do que ficar choramingando pelos quatro cantos da minha casa. Diga o que você sente pela tal pessoa amada, isso sim é certo. E digo mais, isso, é aderir à revolução.

Esse texto é para todas aquelas pessoas que amam alguem, mas tem medo de ir atrás do amor.

. Texto escrito por: Ícaro Uther

Anúncios

Uma Noite no Cabaré.

Sim, caros leitores, uma aventura digna dos Heróis Parnaibanos. Parece até nome de filme, ou de Show de Humor. Vou lhes relatar aqui, o que aconteceu nessa libidinosa madrugada de Sábado para domingo.

Melanoma, Cabelo de Pipoquinha, Alemão, “Diz”, TheMente, PsycoBoy, Beto e New Punk, participaram da maravilhosa noite.

Começou com uma festinha particular, regada de algumas bebidas e detalhe para as vinte coxinhas. Todo mundo alegre, na varanda, jogando conversa fora. Alguns assistindo filme pornô no quarto. Alguns outros batendo a cabeça contra a parede. E ainda tiveram alguns outros que estavam tentando, inutilmente, fazer algo para saciar a fome.

Bom, voltando, no momento em que estavam todos muito felizes, surge a magnífica idéia de irmos passear num dos mais prolixos recintos da nossa cidade: Os Cabarés.

Idéia tola, nunca ninguém ia pensar nisso. Todo mundo gritou!

E lá fomos nós, ao infinito e além. Após alguns minutos de viagem, até o tão famigerado Bairro Piauí, chegamos ao “Chamego Drink’s”. Só pelo nome vocês devem imaginar como é o ambiente. Mal descemos do carro, nossos amigos Cabelo de Pipoquinha e TheMente, já fizeram amizade com algumas moças que estavam na porta do recinto. Adentrando no mesmo, uma tal de “Juice Box” gigante em um canto, tocando os clássicos do Brega, Forró e Sertanejo.

Sentamos em uma mesa, tivemos que esperar quase quinze minutos para arranjarem nossas cadeiras. Detalhe nesse primeiro ponto da nossa aventura para o dialogo de TheMente com uma senhorita do recinto:

– Meu Anjo, você é um caminhão de Laranja Doce.

– Meu amor, Você é um caminhão com trinta ventiladores no meio do deserto.

Ainda descobrimos que duas das mulheres que estavam lá, não eram mulheres.

Após esse dialogo, e vendo a carência de mulheres naquele local, resolvemos ir para outro ponto. O tão famoso “Vem que é bom”.

Chegamos lá, fomos recepcionados por duas senhoritas, uma com uns “seios” bem fartos, que um dos nossos companheiros ficou “xonado” pelos “seios”. E outros dois dos nossos companheiros quiseram “fofar” a outra senhorita. Não foram dois minutos de conversa para que o nosso primeiro amigo, já estivesse com as mãos nos “seios” da senhorita. Claro, tive que conferir também, pareciam aquelas gelatinas de promoção de supermercado.

Sentamos em uma mesa grande, uma loira banguela sentou ao meu lado, e comecei a puxar assunto. Detalhe para o dialogo.

– Cadê as outras meninas que trabalham aqui?

– Elas devem ta por aí, é que o movimento daqui começou desde manhã.

– Quer dizer que hoje foi bom, né?

– Foi sim, mas vocês tão atrás de que?

– Eu estou vendo aqui, que mulher pra oito rapazes vai ser difícil de achar. (Vide detalhe: A mão boba dela querendo passar pelo meu ***).

– Que nada, aqui agente trabalha até com quatro de uma vez.

Estranho, não?

Voltando. Enquanto alguns marcavam esquema, outros estavam tendo uma seção de psicanálise com uma das senhoritas. Seção muito boa pelo visto. Pena que tivemos que ser postos pra fora devido sermos de menor, e a polícia podia bater lá. Ficou apenas no recinto, o Cabelo de Pipoquinha, e o Alemão, que foram fazer serviço em uma das moças. E nós ficamos lá fora esperando. Lindo.

Após essa mirabolante aventura, ainda fomos a outro ponto, mas só fizemos uma pequena visita. E nunca achei tão bom, finalmente, chegar em casa.

. Texto escrito por: Poetas do Agreste

Conflitos Existenciais.

“Conflitos existenciais tomam conta da minha cabeça.”

O ser e não ser, o fazer e esquecer. Conflitos que nossa mente faz com nosso corpo. Tais conflitos que causam tanta confusão, e loucura e morte. Vai dizer que nunca ouviu falar de alguém que se suicidou por não ter uma certeza na vida? Convicções.

“Honestamente eu só quero te dizer, que acertei o pulo quando te encontrei.”

Conflitos existenciais que se tornam mais a tona quando se trata do coração. Aí fica uma briga entre cérebro, que é a razão, e as emoções do coração. Conflitos tão grandes, que como já disse antes, faz o mais forte dos homens chorar. Tais conflitos que se confundem até mesmo com a paixão.

Tais conflitos que nos fazem tomar decisões precipitadas, e até mesmo erradas. Os conflitos fazem nós pensarmos, que com tais erradas decisões, achamos que estamos fazendo o certo, mas o certo, quem está dizendo é o coração. E devido ao conflito, não enxergamos isso.

Cuidado com suas decisões, cuidado para que os conflitos não tomem conta de você. Cuidado para que não tome decisões erradas, se tomar, trate de concertar as coisas a tempo, afinal, não podemos esperar pra sempre.

( Frases com parte de algumas músicas do “Cachorro Grande” )

. Texto escrito por: Ícaro Uther

Não Nos Abandone!

Em um túnel escuro, corro sem parar, sinto que tem alguém me seguindo, ouço ruídos, passos, respirações ofegantes e gritos, mas não consigo ver ninguém, o que está acontecendo?

Continuo correndo, cada vez mais cansado, com medo e ouvindo mais coisas. Agora já escuto buzinas, escuto fogos de artifício, escuto de tudo, mas continuo sem enxergar de onde vem tudo isso.

Cada vez mais próximo da luz, que se encontra no final do túnel, eu corro, não sei como, mas minhas pernas ainda me agüentam em pé, não tenho mais forças pra nada, só correr e ouvir mais barulhos. Agora ouço tiros, explosões, pessoas chorando, gritando de dor, mas continuo sem ver ninguém.

O que esta acontecendo? Preciso sair logo daqui, preciso ajudar essas pessoas que me pedem ajuda, mas primeiro preciso sair daqui. Mas como farei isso?

Não estou mais correndo, estou sentado no chão, encostado na parede, minhas pernas não me agüentam mais, elas não se mexem, como poderei sair daqui? Como? Se não vejo ninguém, se não tem ninguém pra me ajudar, ate porque estão precisando mais do que eu, estão chorando, estão morrendo!

Preciso me esforçar um pouco mais, não posso desistir agora. Não posso ter corrido tudo isso em vão. Não, não corri em vão. Eu vou continuar e vou ajudar essas pessoas, porque com certeza, elas também irão me ajudar.

Então me levantei e tentei ir o mais rápido que pude. Só que ao chegar mais próximo da saída, mais próximo da luz, minhas pernas novamente enfraquecem e tenho que parar. Não posso mais continuar, estou muito cansado.

Alguém terá que continuar por mim, alguém terá que ajudar aquelas pessoas, elas não podem morrer, elas precisam de ajuda!

Temos que ajudar as pessoas, elas são como nós, precisam de ajuda a todo momento, só que nem sempre essa ajuda chega. Não podemos pensar só na gente, precisamos pensar no próximo, porque se um dia precisarmos dele, ele poderá nos ajudar, assim como aconteceu com ele, pode acontecer com você.

. Texto escrito por: Victor Monteiro

Convicções.

São apenas certezas incertas que tenho. Algumas idéias meio malucas, sem fundamentos. São essas tais idéias incertas, gostaria de ter certeza que fossem verdades, mais que não passam de meras probabilidades.

Que sempre fazem com que levante a cabeça, independente da situação. Pensamentos positivos, afim de não me desiludir.

Muitas vezes se tornam pensamentos duvidosos. Mechem com nossas mentes. Podemos dizer que nos deixam “confusos”. Nós fazem confundir o real com aquilo que queríamos que fosse real, ou seja o irreal. Simplesmente meras convicções.

. Texto escrito por: Hyago Pinheiro

Parem o Mundo que eu Preciso Descer.

Parem o Mundo, parem agora!

Não agüento mais, todo dia é morte, é fome, é guerra.

Até quando ligaremos a TV e veremos pessoas morrendo?

Até quando ligaremos a TV e veremos pessoas matando?

Até quando teremos que ver pessoas morrerem sem ter o que comer?

Até quando veremos negros e homossexuais sofrerem preconceito?

Até quando haverá desigualdade?

Até quando escolheremos políticos corruptos?

Até quando ficaremos de braços cruzados enquanto eles roubam?

Até quando agüentaremos calados as regras que nos são impostas?

Até quando obedeceremos essas regras?

Até quando buscaremos a cura para doenças, como a AIDS?

Até quando os EUA vão querer dominar o mundo?

Até quando haverá guerra?

Até quando ficaremos em casa, sem fazer nada para ajudar a mudar o mundo?

Até quando?

Por isso peço, parem o mundo. Não agüento mais viver assim, é muita tristeza, é muita dor, precisamos de amor, de coragem, de alegria, de vontade.

Enquanto o mundo estiver assim, peço que parem, pois quero descer.

. Texto escrito por: Victor Monteiro

Não, não é Verdade!

Muitas vezes acreditamos no que as pessoas nos falam, mas nem sempre isso é possível. Às vezes, nós sabemos que as pessoas estão tentando nos enganar.

Às vezes inventam historias para nos enganar, ou para tentar ser superior a gente, só que uma pessoa que inventa historia para tentar menosprezar alguém, ela nunca vai ser superior.

Outras vezes, elas iludem a gente, elas nos dão esperanças e depois se afastam com uma desculpa esfarrapada, sem sentido.

E na maioria dos casos, elas nos falam a verdade só que nós não queremos acreditar, por que não acreditamos ou por que não queremos ouvir aquilo e simplesmente pensamos: Não, não é verdade! É mentira.

Devemos ser realistas, devemos “tentar” acreditar. Mas se você não acredita, tente conversar com aquela pessoa e descubra se é verdade ou mentira.

. Texto escrito por: Victor Monteiro