Cratera Vazia ou Como as pessoas se perdem no meio da vida

Aquele asteroide que prometera nos dizimar finalmente estava a caminho. Te vi – bem distante, até – segurando uma mão que não era a minha e derramando uma lágrima que não era de açúcar. Meio fora de tom?

O certo é que não sabíamos direito o que fazer. Os desesperados já tinham perdido aquela adrenalina corriqueira e a reza tornara-se baixinha. Quase um sussurro, aliás. Meio sem fé, sabe?

Meu mundo estava em ruínas desde o dia que você me olhou com aquele sorriso de canto de boca e soltou um talvez. Portanto, o que aconteceria ou deixaria de acontecer por causa da distância que tomamos um do outro não importava mais. Era sem sal. Quase um sussurro, aliás. Era um pedido meio reza, sabe? Aquilo que eu pedia nas noites anteriores – que era para ter você aqui – não poderia mais acontecer por causa da maldita pedra que estava caindo do céu. Fuck you, NASA.

E já era tempo mesmo de acabar com tudo, você sabe. Perdeu a graça e a cor. Perdemos o sorriso e o fim da piada – a mesma que eu contava para você antes de dormirmos – e os deuses já tinham nos abandonado. Você já tinha me abandonado. Posso fazer essa analogia porque te considero uma deusa, lembre-se.

Enquanto você está parada olhando para o céu, sentindo a terra tremer e cantarolando uma oração, eu estou aqui te observando de longe e lamentando porque não poderei te reconquistar. Não poderei mais quebrar tua solidão. Não poderei sequer me desculpar pelo texto que escrevi narrando toda essa situação patética.

Ele se aproxima cada vez mais. Podemos sentir. Vê? É o fim. Só isso. Morreremos sem sermos heróis e sem nosso nome gravado na história. Ainda bem! Já que a partir de agora a história não existirá mais. Já que a partir de agora não existiremos mais.

. Ícaro Uther

Anúncios

Nosso Passado nos Condena.

Literalmente falando, nós temos um passado negro. Todos sabem, o passado de nínguem é perfeito.

Irracionais, grande época, maravilhosos vídeos, quem viu sabe de que eu estou falando.

Mas como eu disse, nem tudo é perfeito. Também tem o lado Trash da coisa.

Glorioso Matheus, surpreendentemente chamado de: Super Pertuba, imaginem o porque.

Nunca mais tive notícias desse cara, tenho saudades do tempo que estudavamos juntos. Bate uma melancolia quando penso nessas coisas. Era tudo tão bom, as brincadeiras, os momentos de descontração, era a turma sem frescura: Ícaro, Agnus, Ryan, Matheus; Os fundadores dos: Irracionais de Phb. Em breve mais textos sobre os Irracionais.

Mas como eu disse, nem tudo é perfeito. Saibam o porque:

. Post by: Ícaro Uther

Gatinhos Irados!

Pois é, eu sei que vocês estavam desesperados por coisas novas. Pois aqui vão coisas novas!

Vou apresentar pra vocês lindos gatos. Não “gatos” de homens (suas taradchenhas!), mas gatos, de gatinhos, bichanos, felinos. Não gatos normais, saquem só o estilo de música, Yeah!

Só clicar no link, é vírus não c a r a l e o !

Clique em mim! 

( Roubado do Blog Sedentario.org )

. Post by: Ícaro Uther

Colégio das Irmãs 2.0

Nota de alguém que passou pelo mesmo sofrimento de
Johann Bauer:

– Sobre os zeladores, nada a declarar.

– Sobre os coordenadores: Bem, só funcionam no palavrão.

– Sobre os banheiros: se cagar é ruim, imaginem trocar o absorvente.

– Sobre a casca do colégio: já vi melhores.

– Sobre os 100 anos: cago e ando pra isso.

– Sobre a minha indignação: Eu não tive a sorte do Johann, tive que
fazer até o 3º ano lá e sob ameaças aterrorizantes de seres supremos.

– Sobre estudos de Qualidade do Cnsg: aí dentro, escapam só alguns Professores,
a gente não estuda e ainda passa no vestibular!

Resumindo: C.N.S.G
Realmente não compensa.

. Texto escrito por: Laíse Marine

A Arte da Prolixidade.

Nem eu sei por que o nome do Blog é esse, afinal, “Prolixidade” não é lá uma palavra que se lê em todo comercial de televisão, não é mesmo?

Aliás, todavia, contudo, esse Blog tem o linguajar até muito simples, contrariando a “prolixidariedade” das palavras aqui usadas.

Se você quer falar bonito, seja Prolixo!

Isso mesmo, Prolixo!

E não é xingamento não.

Oras, todos nós sabemos muito bem que esse Blog é deveras interessante para um órgão sexual fálico masculino, a onda antes era dizer: Bom pra caralho! Mas hoje isso não ta com nada!

É a mesma coisa da um de nós chegarmos pro Johann e dizer: Johann, Johann, meu caro herdeiro da profissional que atua na locação do próprio corpo por tempo determinadissimo. É muito mais fácil, não é mesmo?

Pra que chamar o cara de fela da puta?

Quero até da um conselho para vocês, meus caros telespectadores, pelamordedeus, deixam de Deglutir o batráquio, nunca chegue em uma pessoa para inflar o volume da bolsa escrotal. E nunca, nunca mesmo creditem um primata.

Mas agora vamos deixar de Prosopopéia flácida para acalentar bovinos, porque agora nós já vamos derramar água pelo chão através do tombamento violento e premeditado de seu recipiente e vamos retirar o filhote de eqüino da perturbação pluviométrica.

Puta merda! Isso enche o saco!

Mas isso é c u l t u r a !

He, He, He.

Promoção especial: Quem dizer o significado das palavras que estão escritas de forma prolixa (mas tem que dizer o significado correto!), vai participar gratuitamente da matéria “Na Cama com Johann Bauer!”

. Texto escrito por: Ícaro Uther

Esp. Cultural Metáfora.

Pra quem pensa que em Parnaíba não tem um local agradável para assistir peças de teatro, apresentações musicais e muitas outras atrações culturais, está enganado.

O Espaço Cultural Metáfora, localizado no Porto das Barcas, é um local que já faz parte da cultura parnaibana, é um ambiente muito agradável, onde acontece vários eventos culturais. Como aconteceu na ultima 4ª feira, dia 9 de janeiro, um evento organizado pelo grupo Diboa produções e o espaço Metáfora, com atrações de Phb e de Brasília!

Por volta das 8 horas da noite, começou o evento. A 1ª atração foi o poeta Diogo, de Brasília, que recitou poesias de sua própria autoria. Em seguida teve apresentação de Isaac Mendes, vocalista da banda Hidra, de Brasília, com canções de sua autoria e de amigos.

Logo após, tivemos a incrível apresentação do Diego, do grupo Metáfora, ele fez uma incrível apresentação de malabaris com fogo. Em seguida, teve uma peça de teatro, muito interessante por sinal.

É isso galera, se alguém não sabia do Espaço Metáfora, agora sabe! E divulgaremos aqui os próximos eventos, esperamos vocês lá!

Local: Porto das barcas

. Texto escrito por: Victor Monteiro

Fotos Toscas do Dia.

Mein Gott – como diz a mamãe! – Que diabé isso?!

. Johann / Necro:

. Professor Ajosé:

ajosé

. Ícaro:

. Victor “Victor diz” Monteiro:

. Hyago “RBD” ( TaTíPaTúÓh! )

. Post by: Ícaro Uther